quarta-feira, maio 09, 2007

Sem qualquer Monumentalidade

«Com o calor a despertar, é altura de começar a pensar em aproveitar o lado doce da vida. É esse mesmo o apelo do renovado Monumental, no Saldanha, em Lisboa, que passou a chamar-se Centro Comercial Dolce Vita Monumental. Ganhou mais luz e cores, que o tornam mais amplo, numa obra orçada em 1,3 milhões de euros."



Pena que não tenham pensado no tal "lado bom da vida" quando construíram o neo-Monumental, antes de ser Dolce vita. Um monstro de vidro e aço em lugar do cineteatro Monumental, o autêntico, vulto grandioso do modernismo, derrubado em tempos de Abecassis, nos anos oitenta, apesar de todas as ilegalidades administrativas de que se revestiu (consta que aquando da decisão do Supremo Tribunal Administrativo de a proibir, a demolição já ia a meio). Um autêntico crime urbanístico na Praça do Sadanha, em pleno centro de Lisboa. Nem a "luz e cores" lhe dão mais encanto.






Um comentário:

bico de pato disse...

A nossa saudosa Laura Alves, na flor da idade artística, ficou sepultada nos escombros desta ignominiosa derrocada ...este País, como sempre e agora... assistiu ...estupidamente impávido e sereno...

Triste fado...