quinta-feira, setembro 17, 2009

Pólvora seca em véspera de eleições
António Preto e Helena Lopes da Costa não são propriamente pessoas devedoras de grande credibilidade. O facto de fazerem parte de qualquer lista eleitoral é matéria sobrenatural para lá da compreensão humana. Espanta-me que haja quem tenha a menor ideia de neles votar seja para o que for, excepto talvez os familiares e amigos. Por isso não me custa a crer que as jogadas internas de voto censitário no PSD de que são agora acusados sejam mesmo verdadeiras.
Sabe-se que apoiam Manuel Ferreira Leite e são candidatos às legislativas por Lisboa. No PSD diz-se "que o assunto já não é novo e que foi “ressuscitado” agora “por causa da campanha eleitoral”.
Por mais grave que seja - ainda que, sendo assunto interno de um partido, não se revista da mesma gravidade que teria caso envolvesse instituições e dinheiros públicos - parece haver aqui claras semelhanças com o que se passou antes das eleições de 2005. Na altura, é bom recordá-lo, surgiu o caso Freeport vindo do nada, através de uma denúncia anónima e amplamente publicitada por O Independente. O objectivo político de tramar Sócrates estava lá escarrapachado, o passa- palavra popular "isto apareceu agora para tramá-lo" começou a correr e por isso mesmo o tiro saiu pela culatra e o PS ganhou com a maioria que nos tem governado desde então.
Terá esta notícia sobre a compra de votos mais desenvolvimentos e impacto? Talvez Ferreira Leite, se se recordar de 2005, esperará que sim. Com toda a certeza a história iria apenas trazer mais votos ao PSD, com todo o aspecto de arranjo político que parece vir colado.

Um comentário:

primeirofax disse...

Ler, considerar e votar em consciência colectiva:

http://primeirofax.wordpress.com/2009/09/13/voto-util-contra-o-ps-de-socrates-actualizacao-13-de-setembro/