quinta-feira, novembro 27, 2008

Chinese Democracy, ou o regresso oficial dos Guns



Ao fim de anos e anos de interrupções, cisões e demais problemas internos, os Guns N´Roses editaram o tão esperado novo álbum, Chinese Democracy, cujo título era conhecido há uns dez anos. Para quem não se lembra, os Guns (ou GN´R , em flagrante confusão com o nosso Grupo Novo Rock) foram das bandas com mais sucesso do início dos anos noventa, altura em que chegavam ao alto dos TOPs e enchiam estádios nos seus concertos, que não raras vezes envolviam pancadaria.

Entretanto, o líder, Axl Rose, trocou o tradicional lenço na cabeça por tranças e ficou com aspecto de viking envelhecido, o hirsuto guitarrista Slash, a quem se devia o som característico da banda através dos seus riffs, saiu com os restantes membros (formando os Velvet Revolver, uma espécie de Guns nº2), e teme-se o que possa ser o novo álbum. Os Guns pararam no tempo em que o Grunge dominava e os CDs explodiam nas lojas, Clinton chegava ao poder e Cavaco governava. Saber se Rose, só por si, e depois de tanto tempo, conseguiu fazer alguma coisa que se aproveite é um redonda dúvida. Sendo ele a imagem dos GN´R, calcula-se que a alma tenha ido para os Velvet Revolver - no fundo, também tem nome de armas. Certo, certo, é que dificilmente terão o êxito estrondoso de noventa e pouco, quando todos os adolescentes os trauteavam. Um mau envelhecimento ou a passagem para mitos vivos?

2 comentários:

Freddy disse...

Nada bate o solo do Sweet Child o'Mine... Nada!!!!!!!!! Nunca mais farão sequer alguma coisa parecida!

Paco Nassa disse...

In Italy gun's rules!