terça-feira, janeiro 13, 2009

Escândalos oportunos


A euforia durou pouco, e o Benfica já está de novo em primeiro lugar, depois de uma vitória sofrida contra o Braga. Como já se ouviu enormemente, o resultado é contestável por erros de arbitragem, como o facto de no único golo do jogo David Luís estar em fora de jogo, e de haver um penalty não assinalado contra o Braga. O problema é que, como sempre, os prejudicados resolvem utilizar isto como se fosse o apocalipse do futebol. Uso o "como sempre" porque parece que o escândalo só existe nos jogos contra o Benfica, como ficou patenteado naquele senhor do Estrela da Amadora - sim, esse que não paga salários aos jogadores - quando num penalty mal assinalado contra o seu clube, ameaçou "deixar o futebol". Em todos os outros jogos, a coisa assume menores proporções, ou por subserviência, ou por cumplicidades várias, ou então porque não os incomoda tanto. Quando o SLB é ocasionalmente mais bem tratado pela arbitragem do que aquilo que merecia, é isto. E isto são os protestos violentos de António Salvador e as acusações de Mesquita Machado, esse dinossauro apegado como uma lapa à presidência da câmara de Braga, esse protector da promiscuidade entre a autarquia e o futebol, responsável pela onda de betão que assolou a cidade dos arcebispos, para quem, nas suas palavras,



Mais cómico mesmo é ver alguns blogues "de referência", como este, para quem o mesmo Mesquita Machado é o inimigo público nº 1, mas cujas declarações subterrâneas dá razão porque «soube defender os interesses de uma cidade e de uma região que tem sido trucidada, no futebol e no resto, pelos interesses dos poderes instalado» Mais abaixo lê-se: «Roubo! Benfica e Sporting continuam levados ao colo da arbitragem». A ideia está à vista, e explica-se pelo facto de António Salvador ser um confesso portista (ao falar do árbitro, chamou-lhe o "Calabote do Séc. XXI", como não podia deixar de ser) e do Braga ser um lacaio servil do clube que lhe empresta os jogadores. Quanto a Mesquita Machado, que é além do mais é presidente da AG da Federação, em anos e anos no futebol deve ter criado amizades duradouras e proveitosas.


Depois dos jogos em que o Benfica sofreu inúmeros prejuízos, e das queixas dos benfiquistas terem embatido em pesados "deviam era jogar mais", ou "só sabem é chorar reclamar dos árbitros", eis que o país ficou em fúria porque finalmente a situação inverteu-se. Jesualdo, cujo discípulo Bruno Alves continua a exercer à vontade o seu passatempo de partir cabeças adversárias, e os dirigentes do Sporting não deixaram o crédito por mãos alheias e também botaram faladura no caso. Enquanto o Benfica estiver em primeiro, a indignação perdurará. Caso desça para outras posições, tudo ficará na paz do Senhor.