quarta-feira, janeiro 21, 2009

A herança de Walker Bush e o contágio do ridículo

Bush desandou, por fim, como era desejo de grande parte da população mundial e americana. Um presidência eivada de erros, equívocos, abusos de poder e tensões. Um homem sem grandes conhecimentos ou rasgo, pouco inteligente, que deve o cargo ao apelido, e que acaba por ser um bom exemplo do oposto da meritocracia, tão contrário ao espírito americano. Deixou-se guiar por todos quanto o rodeavam, nomeadamente o grupo neoconservador e alguns oportunistas de sempre, como Rumsfeld e Cheney. Não deixará saudades. Sai com uma crise financeira e económica gravíssima, o seu projecto do Iraque numa incógnita, o Afeganistão mais inseguro do que nunca e o prestígio americano americano abalado por Guantánamos, Abu Grahibs e outras vilezas. O maior pecado de Bush será mesmo a forma incrível como desperdiçou todo o capital de simpatia que os EUA recolheram no 11 de Setembro. Tal coktail de inabilidade, falta de visão e incúria é quase uma proeza.

Bush terá sido também o maior alvo de sátiras nos últimos anos. Mas a sátira, quando exagerada, acaba por se tornar tão ridícula quanto o seu objecto. Nisto se inclui a plataforma Bush Bye Bye Party. Se a ideia, abstractamente colocada, tinha a sua piada, com alguns spots imaginativos (como a festinha do casal chinês, humor negro corrosivo), já as mil e tal festas sugeridas, devidamente localizadas e realizadas um pouco por todo o mundo caiem na mesma patetice que se vê em Bush. Se há uma organização global para comemorar por toda a parte a saída (anunciada) do último inquilino da Casa Branca, então que se fará quando um Mugabe, um Kim il Sung (e respectiva prole) e Than Shwe caírem do poder?

4 comentários:

engº Paços de Ferreira disse...

Pois é...
é sempre a assim...
Enquanto personificação do poder absoluto, quantos homens e mulheres não lhe prestavam reverência...
Onde é que estão esses "bushistas" agora?
Quem é que me garante que este sr. Pimenta não terá sido em tempos um vassalo do sr. Bush?
Tenho a certeza que o sr. Pimenta foi em tempos um dos seus mais entusiastas lacaios.
Triste ironia do destino... Antes Grande e Opressor, agora pequeno e oprimido por estes abutres que se alimentam dos cadáveres políticos dos homens a quem antes beijavam a mão...
Nunca fui um partidário de Bush, sempre o considerei como um adversário, um inimigo!
Mas na hora da sua derrota, da sua ignomínia, estendo-lhe o longo braço da Fraternidade e dou-lhe a honra merecida a todos os que vencidos na vida, Lutaram pelos seus ideais!

João Pedro disse...

é fácil, sô engenheiro: é ir ao passado deste blogue e ver o que escrevi sobre o tipo.

Josephus disse...

Até os jornais de desporto falam mal do "Bush". A Sic noticias & RTPi 5 horas em directo hehehe O SALVADOR DO MUNDO . Este Socialismo Mundial vai ser giro com a crise Q por aí vem. Nao vai dar pra celebrar o 666.

Sao como os caes (atacam sempre o q esta na mó debaixo)

superior disse...

balenciaga handbag
balenciaga handbags
balenciaga
balenciaga bags